quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Livros



Terminei de ler As Intermitências da morte, de José Saramago.

É o quarto livro que leio deste autor. Depois de Memorial do Convento, Ensaio sobre a Cegueira e Ensaio sobre a lucidez, Saramago ainda me consegue fazer pensar na condição humana.

Imaginar o que aconteceria à raça humana se de repente ficássemos todos sem ver, ou se a morte resolvesse descansar por uns tempos, não deixa de ser um exercício mordaz de reflexão.

Livros duros e irónicos, com uma escrita difícil e cansativa. Fico sempre esgotada a ler Saramago, e demoro muito mais tempo do que a ler qualquer outro autor (bom, talvez esteja empatado com António Lobo Antunes), normalmente porque tenho que reler certas passagens para conseguir compreender realmente qual o sentido pretendido com certas e determinadas afirmações.
Contudo, Saramago faz-me filosofar comigo mesma, reflectir e pensar naquilo que nos torna (ou não) humanos.

Talvez porque


Saberemos cada vez menos o que é um ser humano.


Livro das Previsões

2 comentários:

Mademoiselle Noir disse...

comprei esse livro no verão, li o inicio e prendeu-me. mas verão... ainda não acabei. espero q saramago me provoque o que provoca a ti :)

MS disse...

Obrigada :) Também gostei muito de ler este blog todinho :p
É verdade, uma pessoa pensa que um chazinho e um suminho são muito inofensivos e depois vai-se a ver, olha...
Quanto a Saramago, só li o "Memorial do Convento" e é mesmo moroso, pois não se percebe logo e há algumas dificuldades, principalmente de início. Pretendo ler ainda o "Ensaio sobre a Cegueira", pois vi o filme e foi assim, bestiaaaal :)