sexta-feira, 5 de março de 2010


Sinto falta de pessoas que faziam parte da minha vida e vi fugirem-me por entre os dedos. Sei que andam perto, mas é como se vivessem do outro lado do mundo. E tenho pena de não conseguir estreitar a distância que nos separa.

7 comentários:

Carla Delgado disse...

Um dos pesares na minha vida é este mesmo q referes. Mas o pior é saber que foram importantes para nós numa certa altura da vida e que de repente deixaram de ser, assim sem ninguém dar conta. Pior pior é quando nos apercebemos (já na tentativa de reaproximação)que já não temos nada em comum a não ser o afecto.
A vida muda-nos em maneiras diferentes.
Beijinho*

Nadyta disse...

Às vezes sinto o mesmo... nem sempre as distâncias são tão curtas como gostaríamos...

Lebasiana disse...

ui... a quantidade de amizades que tenho assim... custa tanto!

jocas

piccolina disse...

O tempo, e a vida fazem com que umas pessoas se aproximem e outras se distanciem. Apesar de achar que as pessoas realmente importantes nunca se distânciam totalmente de nós, tenho pena que algumas amizades se percam no tempo, e ás vezes quando nos tentamos reunir parece que já não há assunto.

Beijo

E. disse...

Como eu te percebo. Passo exactamente pelo mesmo.

Um Beijinho*
E.

Pinkk Candy disse...

estou a passar por isso também, tive amigas que por muito tempo que não as visse, quando as via, parecia que não tinha passado tempo nenhum, mas agora com muitas dessas mesmas amigas, parece que o tempo nos distanciou mesmo! e que já não há coisas em comum! e isso deixa-me triste!

cada vez me convenço mais, que as amizades têm de ser mesmo cultivadas, se não caem mesmo no esquecimento e distanciamento!

xoxo

Joans disse...

olá!!;)

http://www.joanazevedo.com/blog/?p=143

participa!*